du.CAna


12/02/2013


Correio do Pampa 175

 

Edição 446

09 & 10 de fevereiro

2013

...

...

Ser bicho, ou ser gente?

Uma formiga é uma formiga pelo simples fato de nascer. Ela nasce, vive e morre como formiga. Leva sua vida a termo e sempre será uma formiga. Mas ao homem não basta nascer para ser homem, existe uma constante de aprendizado que vão nos formando, nos capacitando, nos modelando como gente e quando somos chamados a dizer quem somos, podemos ou não mostrar a nossa obra, as nossas conquistas, a nossa própria formação. E então confirmar: nós somos o que fazemos.

Somos o que escolhemos ser

Para nos diferenciarmos das formigas, da condição de nascer, viver, morrer dos animais, o grande segredo está nas escolhas. Na escolha que fazemos todos os dias, nas tarefas que nos propomos. É o acúmulo das nossas escolhas que podem nos modelar a vida e transformá-la. Com um pouco de sorte, mais o trabalho e o estudo, muito mais que deixar o tempo passar, o próprio tempo dirá se fomos mais ou menos bem sucedidos. Mas tenha certeza, grande parte do sucesso que atingimos no mundo, está nas nossas escolhas.

Zé Adão Barbosa, um homem que escolheu

O Zé Adão Barbosa, ator que mora em Porto alegre, conheci-o por ocasião das filmagens de “O Tempo e o Vento” em Pelotas e Bagé. Ele é um camarada de personalidade, não só por esse feito, pediu demissão no meio de uma novela da Globo, não gostou do tratamento dos diretores com os atores menos famosos e caiu fora... Zé é um ator fantástico. Esses dias ele falou na televisão: eu nunca vou ser rico. Nenhum ator no Rio Grande do Sul vai enriquecer fazendo teatro. Quer enriquecer com o teatro então tem de ir para São Paulo. Quer ficar famoso, vai fazer teatro no Rio... Ele escolheu viver em Porto Alegre e é grande ator e muito feliz...

Na abertura do ano letivo

Comentei com os professores e professoras na mística de abertura do ano letivo da educação infantil do município, lhes disse: Vocês escolheram estar aqui, isso é um passo, se foram convidados também é outra decisão. “Deixa a vida me levar, vida leva eu” só para quem canta bem é artista famoso da televisão, caso contrário, nós somos quem temos de empurrar a vida, formá-la, participar das decisões, ou ao menos saber das coisas e cobrar dos que tem a obrigação de fazer, e, fazer o que temos de obrigação fazer. Nós temos de dar e saber a importância daquilo que fazemos. Saber o que representa para as outras pessoas essa nossa tarefa, que é uma escolha nossa. Ser professor é uma tremenda escolha.

Eu escolhi e professei

Eu dizia aos meus jovens alunos: a nossa formação, a iniciação, a preparação do nosso futuro está na sala de aula, mas não só na sala de aula. Temos de alargar as nossas participações – na banda da escola, no grupo de teatro, no grupo de danças, no grêmio estudantil, buscar a participação da vida social e política da nossa comunidade, ser participativo e proativo. Essas escolhas, com certeza, nos colocarão na trilha do sucesso. Somos humanos, temos de nos fazer e refazer todos os dias. O acúmulo das nossas experiências é que mostrará quem somos, e não somos formigas... Somos gente. E como gente devemos saber escolher e viver num constante aprendizado e usando para o bem tudo o que aprendemos.

Da escolha a ser escolhido.

Eu fiz importantes escolhas na minha vida. Fui operário, depois professor, paralelamente escolhi muitas outras atividades: sindicalista, político partidário, ator de teatro. Nunca ninguém me obrigou a nada e das minhas escolhas fiz meu sustento. Tive oportunidade de viver em outras plagas, mas retornei a minha Livramento e aqui escolhi levar minha vida a termo. Acho que escolhi bem, adquiri experiências e como resultado dessas escolhas fui escolhido Secretário Municipal da Cultura. 

Escrito por jn canabarro às 15h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico